A Semana

(Víctor Lemes)


A cabeça pesa mesmo quando corto o cabelo.
Os olhos ardem sem ter caído condicionador neles.
Meus dedos sangram quando arranho-os na parede.
E o peito se abre cada vez que meu sonho não vejo.

A lágrima que não cai, nem sequer existe.
O medo instalado nos pulmões emigrara.
Vive viajando nas veias, perfurando-as feito espada.
Quando ao coração chega, lá nada reside.

Unhas feias que todos os dias roía.
Deixaram minha carne mais visível a todos.
E a profunda sombra que nelas vivia,
É o que resta, é o que não somos.

Tenho um rascunho do futuro guardado.
Em pequena letra, à punho, meu nome escrevo.
Sem ter ninguém antes visto ou lido,
Aquilo que guardo para o eu idoso, amigo filho.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário