Um coração que bate devagar

(Víctor Lemes)


Num barco qualquer preso no mar,
Velejar sem rumo, sem rota...
Passear pelas águas de lágrima,
Entre salgado e doce é o gosto d'água.

E por querer ouço novamente aquelas músicas,
Que muito você me lembram,
Noites e tardes, passamos...
E nada me faz a cabeça.

Vagando e velejando, por estes oceanos
Que muito fora guardado no profundo
Vale, que lá existe,
Tamanha baleia que nunca há de ser vista.

Escrever coisas sem sentido assim,
É a distância que corrói as veias,
Que em poeira transforma o sangue,
E deixam de pulsar, por não lhe ver.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário