O que move o amor

(Víctor Lemes)



Alguém que só serve de refém
Daquela que nunca senti,
Ou daquele sentimento tolo, de criança que sou,
De querer Amor de alguém
E seguir até o fim.

Alguém que serve de testemunha
Por ser observado toda a noite,
Imitam estrelas, vermelha e estática,
Estacionada à frente da varanda.
A ansiedade invade, lá se vai as unhas.

Alguém que aguarda quieto,
Que faz das lágrimas secas
O refúgio da felicidade.
É lá que brotam das folhas e tronco
Os sorrisos e risadas ao olhar o teto.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário