Letrados

"Primeiramente, eu só tenho a agradecer à ela, àquela que me deu a luz, que me abriu as portas pra essa vida,
e que ainda me fornece luz nos caminhos difíceis e confusos que aqui existem. Que, literalmente, perdeu um pouco de si, para que assim eu pudesse existir. Eu sei, hoje eu sei, o quão importante foi o pulso firme, os castigos, e as conversas. Sem ela, eu não teria vivido com todos os outros, com os que hoje lêem isso, e aqueles que um dia eu compartilharei um pouco do vivo, do que sou, e do que quero ser. Afinal, agradeço àquela que me deu as primeiras letras da minha vida, e que me ajudou a colecionar muitas outras. Te amo, mãe!

'Segundamente', o poema que se segue é dedicado a todos aqueles que de alguma forma, se misturaram e me ajudaram a formar mais meu caráter diante das tantas diferenças que nos uniram, e nos unem. Eu só tenho que rir de alegria, da alegria que tive nesses três anos, do reconhecimento por parte de uns os quais nunca achei que teria o reconhecimento. Tenho a certeza absoluta, por mais pleonasmo que isso possa ser, que os levarei comigo pra sempre. E espero que tenham a mesma certeza. Aprendi. Ensinei. Cresci. E ainda os amo, meus amigos."



Letrados





Havia em minha escrivaninha
Um barquinho de madeira
Que servia como porta-canetas,
Era a metáfora das muitas vidas...

Acabei me formando professor.
E concretizando o sonho sem memória
Do meu passado, rodeado de livros,
De amigos imaginários, de amor...

Eu conheci muita gente boa,
Muita gente diferente, de tão perto
Ou de tão longe.

Aprendi muito quando ninguém
Nos ensinava nada, e ri muito
Dos erros alheios, e meus também.

***


E mais uma vez, me vejo
Como aquele menino e seu reflexo
De espelhos. Me vejo crescendo
Mais e mais, me enchendo de desejos...

Hoje, mais um lance de escada
Foi subido. Ainda temos vários
Degraus pra subir, e muitos sem
Corrimão, sem estes poucos amigos...

Mas que beleza seria
Se um dia nos corredores d'uma escola,
Nos topássemos, sem querer...

Trocaríamos memórias antigas,
As que hoje são nosso presente,
E outras tantas que estivemos ausente...

***

Levamos conosco o bem mais belo
E precioso, que jamais pudemos
Procurar por aí:
A vontade de sermos perfeitos.

Alexandre, Camila, Ester, Bruna,
Lidiane, Audrey, Davi, Juliana,
Gislaine, Nelson, Paula, Rosana,
Dárcio, Cláudia, Janete, Flávia...

Ana, Karina, outra Karina, e Rutzkaya;
Tantos nomes, tanta amizade,
Elos profundos, de apenas três anos...

Levo comigo o prazer de não só
Ter vivido com vocês, mas tê-los
No peito, como sinônimos imperfeitos.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

2 comentários:

  1. lINDO VICTOR...
    PARABÉNS A TODOS NÓS Q DE ALGUMA FORMA SOMOS VITORIOSOS POR + UMA CONQUISTA EM NOSSAS VIDAS.

    ResponderExcluir