Balança


(Víctor Lemes)


Como é bom sentir de novo
Aquele doce gosto,
De um alguém que está lá,
Pra gente, escondido, amar.

Um dia passar em frente
A um antigo casarão,
Que até bem pouco tempo
Estava abandonado: o coração.

Refletir se devo ou não raspar
Toda essa barba, e esse bigode.
Se um dia tiver que o cabelo cortar,
Só pra ver de seus olhos, um sincero olhar.

Diminuir o doce, escrever demais.
Aumentar a fome, por nada ou pouco
Comer, quando de noite hei jamais
Lembrar-me do quanto sou louco.

Cantar e dançar, como uma criança
Na sala de estar. Rolando no carpete
Da sala de estar. Criando maquete
Pra dançar e cantar feliz.

A saudade desse sentimento,
Que não sentia há algum tempo,
Chegou bem na hora,
Chegou no momento.

Momento esse de se entregar,
De escrever e sem vergonha
Chorar, seja triste, seja feliz.
Seja do jeito que for, que apenas seja.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário