Ah, coração!

(Víctor Lemes)

Ah, coração!
Se eu não o conhecesse assim,
Que seria de mim, pobre Solidão!
E daí em diante, tudo é sorrisos,
Sejam meus, sejam do Vento!
Eu sei, eu sei que você já se cansou
De tamanho passatempo,
Mas entenda, coração, e me acredite,
Nada melhor do que saber que eu, agora,
Não estou a boiar num imenso lago
De falsos amores...
Estou a descer o rio do Tempo,
A navegar em minhas próprias embarcações!
Ah, coração!
Como eu sou assim?
Um tanto ingênuo, mas tão feliz...

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário