Gente: falsa

(Víctor Lemes)

Vocês que alimentam a falsidade,
Dando trocados a cada esquina,
Vão fingindo que a meus olhos enganam
E se enganam fazendo de si mesmos
Grandes erros, tremenda mentira.

De risadinhas tolas sem afeto algum,
Vão distribuindo nas calçadas
Panfletos cheios de propaganda enganosa.

Vão subindo assim as escadas da vida,
Se apoiando em suas ilusões
Acreditando que fossem fortes corrimões,
E de repente, sem ruído algum,
Tropeçam e escada abaixo rolam...

Dó de vocês? Piedade quando acordarem?
Imaginem, sonhem alto assim,
Não esperem nunca de mim palavras de afeto
Para com pessoas como vocês, que maltratam
Tanto o outro, mas quando
A tristeza da solidão os invade,
Voam feitos mosca em carne crua e sangrenta.

Nojentos, estúpidos, hipócritas.
Deste que aqui escreve nada mais há de lhes dizer,
Já que o tempo trará a Verdade tão logo teus olhos chorem,
E quem sabe então,
Verão as cores fétidas de suas máscaras.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário