Pra sempre

(Víctor Lemes)

E agora, todas as noites quando durmo,
Deixo o anel bem preso ao redor do dedo.
Sem pensar se de manhã vai doer ou não,
Ou se, pra sempre, nele vá resolver ficar.

Olho no espelho, e me vejo maior.
Mais alto, as mãos mais largas.
Os olhos maiores e brilhantes,
O rosto amplo, o coração aberto.

Cinco dias sem contato algum,
Cinco dias sem escrever
Ou mesmo sem inpiração.

Dois anos para o embarcar dos trens,
Dois anos para o adeus,
Ou então para a comemoração.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário