O céu


(Víctor Lemes)



Se olhássemos o céu ao inverso
Veríamos quão imenso é o seu mar
De constelações, feito corais e algas
Todas cintilantes e coloridas.

Verdadeiras mágicas de uma fonte
De energias sem meio ou começo,
Tendo apenas o fim previsto,
Idêntico para todos: o início.

Velejaríamos num céu coberto de sol,
Caminharíamos de mãos dadas numa nuvem,
Seríamos gigantes seres alados,
E nos teríamos dentro de nós mesmos...

Viveríamos como se um só fôssemos,
Dividiríamos a mesma cama, e o mesmo copo.
E ainda assim, seríamos egoístas
A ponto de eu só querer você, e você só a mim.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário