Folhas ao vento



(Víctor Lemes)

Um dia o elo entre eu e os galhos se afrouxa,
Desprendo-me de suas veias de luzes,
E numa rajada de vento forte
Embarco nessa minha longa aventura.

Com essa sorte, também conhecida como vento,
Me encontro com outras folhas secas
Nas correntes de ar...
Talvez até conheça algumas pétalas...

De longe vejo a árvore de que brotei,
Abraçado ao vento, vou pousando no chão.
De perto sinto o perfume das pétalas que amei,
Me despeço da sorte, e guardo-a no coração.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário