Soneto ao Ansioso

(Víctor Lemes)

Em campos verdes
Adormece um garoto.
Usa poucas vestes,
Possui corpo feito ouro.

Corre, salta, nada,
Saltita, pula, se engraça.
Gosta de alinhar o espírito,
Idolatra o deus Infinito.

Tem suas dúvidas,
Eu tenho as minhas.
Compartilhamos ideais.

Lutamos sem ter lâminas,
Anseamos um começo sem fim.
Buscamos verdades demais.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

2 comentários:

  1. Belo soneto, inspirou-me muito...

    Bjs

    Mila

    ResponderExcluir
  2. Acho que nã o há o que comentar sobre esse soneto, é tão belo, simples e paradoxal - o que o torna perfeito. Cada um com seu ponto de vista... assim, prefiro guardar meu entendimento e não tentar compreeender o do poeta.
    Apenas é magnífico!

    ResponderExcluir