Soneto à Moça do Olhar Vazio

(Víctor Lemes)

Conheci uma moça
De olhar forte
Porém distante,
A olhar uma poça.

A voz da chuva
Pela noite ecoava,
As gotas enchiam a poça,
Esvaziavam os olhos da moça.

Apoiada a mão
Em seu queixo encharcado,
Não eras, mas sentias tosca.

- Deixa de ser Não!
Repara como poças criam riacho
E levanta-te, linda moça, tens força!

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário