A Água e o Ar

(Víctor Lemes)

Existe uma linha tênue
Entre a tua face e a tua pele.
Há entre nós uma ladeira bem íngrime,
Pedras de argila nos divide feito parede.

As palavras nos consomem,
Nos trazem prazeres de outros ausentes.
As palavras nos separam por nos unir,
Sejamos mudos, estejamos calados; é hora de ir.

Que as músicas nos torne especiais,
Que suas letras e canções nos torne
Imortais.

Com você pude provar do amor impossível
Algo novo, aprazível, porém passível
Demais.

*

Nos trombamos por aí, numa rua sem luzes,
Sem postes, sem carros, sem estradas.
Nos amamos em algum lugar de outrora,
Abrimos outra porta.

Não há medo, não há frustração, não há rancor.
Meu coração é mais pleno, mais limpo,
Depois de tê-la (re)encontrado,
Depois de tanto tempo.

Há em nós uma luz que ainda
Há de nos unir, eu sei.
Falta tão pouco agora...

Espera-me naquela janela
Onde nos prometemos um ao outro.
Você já é parte de mim, mesmo que de mim parta.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário