Soneto de Gaveta

(Víctor Lemes)


Não digo que estou triste,
Tampouco posso afirmar que nada senti.
Porém, o que ela levou de mim,
Foi a melhor parte que guarda em si.

Pequenos gestos, e palavras,
Que ao ser pronunciadas
Irradiam a Luz que há nas Estrelas,
Destes céus tão meus quanto dela.

Não digo que esteja menos feliz,
Pois o brilho de seus olhos
Iluminara minha fronte.

Não espero dela nada mais,
Pois já é, de todos os mundos,
A mais bela gaveta que ousei abrir.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário