Então

(Víctor Lemes)

E, no entanto,
Não há mais o tanto
Que, embora eu tivesse
Até o momento,
Tudo escafedeu-se
E foi-se embora.
No mais,
Não há mais
O que esperar,
Quando chega a hora
De viajar,
Para algures,
Para outrora,
Seja hoje,
Seja agora.
E, sempre que puder,
Lhe trago no olhar
Dos meus rabiscos,
Sem pré-conceituar
Os outros olhos aflitos,
Para que assim,
- Ah... sim!
Você possa me ter
Sem nem ao menos
Perceber.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

1 comentários: