Conta-gotas

(Víctor Lemes)


Vem, meu bem, morar em casa
Vem, que se vier, te perdoo as mágoas.
Vem, pois te quero bem, e assim de longe não dá
Para cuidar dos teus medos, teus desejos, tua alma.

Se aproveita de mim enquanto há tempo,
Enquanto ainda eu aguento tua falta de sentimento.
Só tome cuidado para não vir toda,
Chega a mim, sim, mas vem pouca.

Quero deliciar-me de ti,
Não de teus beijos, tampouco teu corpo
Como assim fazem e pensam os outros.

Vem para casa enquanto te amo,
Mas, lembra: venha como em gotas,
Pretendo beber-te aos poucos.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário