Consolação

(Víctor Lemes)


Pai do céu, que moça
era aquela,
toda de branco,
no trem, era a mais bela.

Desde a Paraíso
à Consolação,
Trocando fugazes olhares,
lado a lado no vagão.

Ai de mim, pobre coitado
Se fosse mais assanhado
Inclinaria meu rosto,

E tascaria nela um beijo!
Mas faço parte daqueles
Que pensam demais.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário