Barba pra quê?

(Víctor Lemes)

O homem podia
Ter nascido sem ter
Que ter a maldita barba,
Que toda semana
Tem que fazer,
Tem que aparar,
Tem que mostrar
Que é homem direito.
Deixar a barba crescer
É não ter jeito,
É brigar com a mãe,
Com a avó, com a filha,
Com a mulher, com a namorada,
Só por que a bendita da barba
Está mal-feita, mal-cortada,
Está toda torta, está de qualquer forma;
Ou não está do jeito bonito,
Do jeito arrumado,
Do jeito do galã da TV,
Do jeito que eu pedi para ficar.
Deus me perdoe quem goste dela,
Mas fazer a barba é um pé no saco!
Deus é um cara irônico,
Aposto e ganho que para ele
Não fez surgir sequer
Um pelo no rosto!

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário