Barco de Papel

(Víctor Lemes)

Sou a dobradura
Numa folha qualquer,
Na minha mesa há fartura
Para você, se quiser.

Dos carinhos todos
Eu sou o cafuné,
Não sou de apontar dedos
Muito menos de ficar no pé.

Te espero dobrar-me
Em dois, juntar minhas
Pontas, e lançar-me ao ar

Feito avião; ou fazer-me barco
E deixar'me à deriva do teu mar,
Eu tripulante, você capitã.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

1 comentários:

  1. Por um tempo meio desconectada desse universo de blogs, esqueci como são bonitos teus poemas! Abraço.

    ResponderExcluir