Sentir-se o prêmio


(Víctor Lemes)


Amar está muito mais do que acima de tudo que nos rodeia. Amar é tudo que nos rodeia. Estar disposto à vida a dois é ter consciência de que o caminho não vai ser fácil, mas que o mais importante é que você terá alguém para compartilhá-lo. Estar disposto a amar alguém, a relacionar-se amorosamente com alguém, é como carregar seu coração nas mãos, e percorrer todo o caminho sozinho, pois o Amor parte de quem dá. E nesse caminho haverão pedras, e algumas delas você as verá, e poderá desviar-se delas. Mas outras aparecerão do nada, e você tropeçará nelas. Dependendo do tropeço, nada vai acontecer com o seu coração que carregava nas mãos. Porém, haverá vezes que o tropeço será tão forte, que seu coração cairá no chão; na queda, pode ser que sim, pode ser que não, ele trinque. Se trincar, não haverá outro para substituí-lo, e o Pai criou um tão bom que é inquebrável... Todavia, inquebrável não é sinônimo de insensível à dor. A essa dor chamamos de "mágoa". Ao contrário do que é comum pensar e acreditar, as mágoas, as tristezas acumuladas, não são frias; a cada mágoa seu coração esquenta. E quanto mais quente for seu coração, mais difícil será carregá-lo no caminho. Suas mãos irão arder, e qualquer cascalho na estrada fará você tropeçar novamente. Com o tempo o seu coração vai perdendo lasca atrás de lasca. Há pessoas que são fortes, resistentes à mágoa, e conseguem carregar seu coração por toda uma vida. E há outras como eu que não são tão fortes assim... Em qualquer um dos casos, o único escape é o de parar a caminhada, sentar-se nas pedras, e conciliar-se com o caminho. Pois o que importa mesmo na vida, não é o prêmio, não é o final do caminho... o que importa mesmo é quem caminha com você; é todos os detalhes do caminho ao seu redor. Faz algum tempo que eu não escrevia, mas tudo que escrevo é para mim mesmo. Nada que um bom banho debaixo do chuveiro, num banheiro escuro não resolva. Quando comecei minha caminhada, eu sabia dos desafios que me aguardavam, e eu os aceitei. Sei que eles vão me transformar para o que é bom para mim, sejam eles por meio da alegria ou da dor. A mágoa não é feia. Amo meu caminho e vou amá-la para sempre, como o Mestre um dia me ensinou. Escapou das minhas mãos agora a pouco, mas já o recuperei do chão... Agora é seguir adiante, como meu Vento me ensinou. 

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário