Uma permissão

(Víctor Lemes)


Tenho a impressão de
Que te incomodo, Clarice...
Desde aquela tarde,
Quando decidiram
Partir-me de ti,
Cerrei meus olhos
E subi às estrelas
Em busca de conforto...
Lembro-me bem
Do seu "preciso ficar,
Não posso ir contigo."

Fui e não fui,
E agora ao voltar
Reencontro-te como
Uma Clarice mais jovem,
Mas sei que é você
Pois, seus traços são iguais,
Seu jeito de inclinar a cabeça
Como a Lua costumava
(E os gatos também costumam)
Fazer enquanto cantava
Comigo às noites
Que sonhava conosco...

Ainda discuto com o Tempo,
Há coisas que não mudam
Assim tão fácil, sabe?

(Sei que acreditas em mim, Clarice.)

Há coisas que não mudam
Assim tão fácil, sabe?
Ainda és, para mim, inalcançável.

(Só ainda não descobri se fazes de propósito, Clarice.)

Saudades tuas.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

0 comentários:

Postar um comentário