Turning over a new leaf

As águas de março não apenas vem do céu para regar nosso solo; elas vem de dentro de mim, e saem por meus olhos neste momento. Março pra mim sempre será um mês emocionante, e agora mais ainda, porque me sinto mais conectado com o mundo interior. Estou aqui como mensageiro, e nesse caso, posso me corrigir e dizer “estamos”. Neste mês Ayrton Senna e Renato Russo fazem aniversário, e tenho muitas saudades deles, dos meus queridos patriotas. Tempos de um Brasil mais Brasil, não tão americano, e tão hipócrita. Hoje eu acordei mais cedo que o relógio despertador, isto significa muito para mim: antes que o tempo me acorde, eu despertei antes.


Março deve se chamar assim por ser um marco na nossa história. Para mim, março traz essa saudade e alegria que comentei agora há pouco, mas para aqueles que viveram o dia 31, de 1964, não há alegria alguma. O dia em que iniciou-se o Regime militar no Brasil, o dia que iniciou um dos piores e mais vergonhosos fatos da nossa história. O dia que marcou um início de assassinatos de muitos brasileiros, de muitos companheiros, de muitos idealistas, de muitos jovens que como eu, poderiam ter tido uma vida bela e cheia de alegrias. Um golpe orquestrado, muito bem pensado pelos senhores do mundo, por meio do partido da imprensa golpista, e dos militares para acabar com o Brasil.  








Deixo aqui três documentários que todo brasileiro que se diz ser brasileiro, para todo brasileiro que não precisa de camiseta verde e amarela para se achar um brasileiro, para se sentir um brasileiro… para todo esses “brasileiros” que querem fugir da pátria, e só voltar para cá quando tiver tudo certo… para esses “brasileiros” que seguem AINDA a ideia de um rei de Portugal… Para esses falsos patriotas que não sabem de nada de história, que não tem memória, que não tem coração… para todos esses eu lhes recomendo assistir todos os três documentários postados acima. Com vocês, meu amigo Renato Russo:




“Chega do Brasil ser um país do futuro, o Brasil tem que ser do presente.” (Renato Russo)


E eles estão tentando novamente, porque esses senhores do mundo só conseguem lidar com o passado. Eles querem acabar com a liberdade, a democracia foi conquistada com muito sangue, porque a história é escrita com sangue, infelizmente.

“There is an ancient Indian saying that something lives only as long as the last person who remembers it. My people have come to trust memory over history. Memory, like fire, is radiant and immutable while history serves only those who seek to control it, those who douse the flame of memory in order to put out the dangerous fire of truth. Beware these men for they are dangerous themselves and unwise. Their false history is written in the blood of those who might remember and of those who seek the truth.




Passo a peteca para o Renato, novamente:



Essa entrevista foi feita em 94. Recentemente, a atriz Ellen Page fez uma entrevista com um ignorante, um “idiota com ideologia” que está no poder, para ver quão ignorante sobre o homossexualismo ele é. Estamos em 2016, e a história não é diferente, é como Cazuza um dia escreveu, só vejo um museu de grandes novidades. Voltei ao Facebook recentemente, e durante essa semana, eu vi uma imagem mostrando o mesmo infeliz como possível solução para a presidência do país. Até onde vai o cúmulo da hipocrisia? Até quando vai toda essa babaquice?

“A função dos preconceitos é nos proteger de termos que estar sempre pensando.”(Hannah Arendt)


Eu vejo montagens que mostram a Presidenta (falo presidenta mesmo, foda-se), na beira de um penhasco, e perguntas do tipo “o que você diria para ela nesse momento?”. Até que ponto chega o descaso com o ser humano? Você pode odiar uma pessoa, você pode não gostar do que ela faz ou não faz, mas por que você tem que desejar o pior para ela? Que ideia VELHA! Vejo outras pessoas no Facebook ou fora dele, falando que os eleitores da Dilma e do Lula moram em casas inacabadas, que comem pão com mortadela, que são pobres, etc. Meu amigo, minha amiga, se você segue esses paradigmas tão preconceituosos, quem é você para reclamar alguma coisa de bom nesse país? Nesse país onde não muito tempo atrás, os mesmos queriam que se dividisse? Deus meu, quanta ignorância. Já não nos basta o sexismo, o racismo, o especismo, o separatismo, de todas as formas, ainda querem criar MAIS distância?


O engraçado é que vejo muitas dessas pessoas que assim o fazem, frequentando com certo afinco a “casa do Senhor”, e proclamando coisas lindas e bonitas sobre Jesus. Ora, ora! Este homem que um dia nos visitou como um reles carpinteiro, estava um dia no alto do Monte Hermon, e lá afirmara o seguinte: “Nos reinos do meu Pai, não há grandes nem pequenos… O amor não distingue. Não mede.” E ainda assim, as pessoas me aparecem e cismam em reclamar mais atenção do que as outras, só porque comem pão com presunto e queijo, e não mortadela! A palavra hipocrisia nunca foi tão incômoda numa geração. E se incomoda ouvi-la, é porque em Paz consigo mesmo é que não está.


Veja bem, o Galileu dizia sempre, e há milhares de pessoas por aí afora, repetindo: “Amai uns aos outros como a ti mesmo”. Lhes pergunto, cadê seu amor quando estão sendo preconceituosos com o outro que votou na Dilma, que votou no Aécio? Cadê a aceitação das diferenças? Cadê o cumprimento das leis para todos, porque a pessoa que subiu ali no cargo de presidência (eleita democraticamente, diga-se de passagem) não é, de maneira alguma, superior do que eu, até porque ela não passa também de um ser humano como eu! Se a sua ideia era de que, por ter um cargo de poder, a pessoa se torna melhor que você, meu amigo, minha amiga, está na hora de atualizar algum paradigma seu MUITO Era das Trevas.


O Universo trabalha com a lei do retorno. O que você dá, você recebe. Alguns chamam isso de alquimia. O que você planta, você colhe. No momento que você planta, você fala, você reivindica alguma coisa vibrando NEGATIVAMENTE, traz consigo uma carga cheia de preconceito para aquele a quem dirige seu argumento, você não pode esperar alegrias e compreensão quando você receber de volta essa energia. Não funciona assim. A violência, só gera violência; o preconceito, só gera preconceito.


É inconcebível a ideia de alguém exigir respeito de alguém, enquanto xinga uma pessoa que vota no partido X, chama a pessoa de qualquer nome feio, e ainda espera que tenha respeito pela sua opção sexual, sua religião, suas opiniões, mais tarde pelas outras pessoas. É totalmente ilógico, não sou de exatas para saber disso. Faz ANOS que repito, e bato na mesma tecla, toda vez que chego a discutir sobre esse fato: o humano se pôs num pedestal tão alto, tão acima de qualquer espécie, que ele se acha no DIREITO de julgar as opções dos outros. É uma pretensão do tamanho do mundo. E o Galileu disse muitas vezes: “Não julgue, mesmo que creia que tenha razão.”


Daí surgem os grupos que exigem respeito, que exigem justiça, quando na verdade a justiça é feita quebrando a própria lei, que vale, deixe-me lembrá-lo bem, para TODOS os meliantes que vivem na sociedade. Ontem foi grampeado o telefone da presidenta ilegalmente. Mas poderia ter sido o seu, poderia ter sido um podre seu, uma bobagem sua, grampeada e passada à frente. É legal ser ilegal? Ótimo, então já pode ir pegar sua malinha para os Estados Unidos, porque lá, lhe garanto, não apenas seu telefone será grampeado, como seus “zapzap” e outras tecnologias.


Mesmo que você fosse ateu, leve a história de Jesus como apenas uma história, mas que tenha uma moral no final dela. Veja bem, o que aconteceu com Jesus naquela época? Foi crucificado; por quem? Caifás? Pôncio? Não! Pelo povo! O povo foi em sua maioria manipulado a acreditar que era ele quem devia morrer, não o bandido. Eles foram levados a acreditar numa mentira, em falsas informações, e caíram na armadilha. E não é difícil conseguir isso, aliás, Noam Chomsky já inclusive descobriu a receita da manipulação midiática. Estamos repetindo a história? Esta história, ou a de 1964?




“Eu sou um intelectual que não tem medo de ser amoroso. Amo as gentes e amo o mundo. E é porque amo as pessoas e amo o mundo que eu brigo para que a justiça social se implante antes da caridade.” (Paulo Freire)


Os tempos se repetem, e se repetem há tempos. A falsa razão é vendida nas revistas, e noticiada nos telejornais, de boca em boca as mentiras da cidade vão passando. E o coração fica ali esperando que alguém o ouça batendo. O coração bate porque, de fato, quer ser ouvido. Lembre-se: as divisões, as classes sociais, as raças, os times, tudo isso foi inventado para separar-nos, para deixar-nos divididos entre nós mesmos. O que precisamos, realmente, é de um novo sistema político-social. Devemos evoluir, não retroceder. Precisamos resgatar nossos valores e utilizá-los sempre, não desejando que uma bomba exploda em Brasília, financiando uma “guerra santa”. Quantas mais contradições há de ter no mundo? Vamos viver, no infinitivo. Vamos ser um novamente. Eu confio, ele sempre em verdade me disse: “mal’ak, confia, que o Pai não erra.”


“Nossa vida tem que ser nossa mensagem.” (Thich Nhat Hanh)


E esta é parte da minha.


20 de março de 2016,

Víctor Lemes.



Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Víctor Lemes, idealizador e administrador do blog, geminiano nascido em 1989, em São Bernardo do Campo. Formado em Letras (UniAnchieta/Jundiaí - 2009), e pós-graduado em Especialização em Língua Inglesa (UniAnchieta/Jundiaí - 2011), trabalha como coordenador pedagógico e professor de inglês na escola de idiomas CNA, localizado em Louveira, cidade em que mora desde 2002.

1 comentários:

  1. Essa imagem é a cara do povo que luta pela Democracia.. uma energia do bem.. do caminho certo.. do texto certo... E, continuaremos lutando pela liberdade de todos.. mesmo que esses não o compreendam.. não queiram ver a verdade.. ou simplesmente não se importam!

    Aloha!

    ResponderExcluir